SALA DOS CISNES

Um dos privilégios de trabalhar nesta área é poder entrar em locais que normalmente estão vedados ao público; ou por serem particulares ou por se tratarem de zonas fechadas, de acesso privado apenas para quem lá trabalha. Ontem fui ver um palacete numa rua do centro de Lisboa, um daqueles palacetes pelo qual já tinha passado inúmeras vezes, mas que nem suspeitava – apesar de imaginar – da sua riqueza interior: os tectos com estuques trabalhados, as escadarias em madeira, os espelhos biselados, o jardim traseiro em sucalcos, o terraço no 1º andar e o conjunto azulejar. Foi por causa dos azulejos que lá fui, claro; mais um orçamento de restauro para fazer – na realidade, sete orçamentos para fazer; divididos pelas zonas onde se encontram os painéis. Só com isto prevejo perder uns dois dias, sem nenhuma garantia de ficar com o trabalho, ou parte dele e que será caro, o que é já evidente, dado o péssimo estado de conservação dos azulejos.

De qualquer modo, quando passar novamente naquela rua, já posso afirmar que uma vez entrei ali naquela casa – o que talvez nunca mais me volte a acontecer.

Anúncios

2 thoughts on “SALA DOS CISNES

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s